* Arquitetando *


Um apê MASTER no Rio de Janeiro!


... eu só não curto sofá branco ... acho brega ... rs ...
 
 
Quando os proprietários deste apartamento carioca de 400 m² compraram o imóvel, ainda na planta, já tinham em mente a contratação de David Bastos. As mãos do arquiteto baiano tocaram a obra que transformou a propriedade numa morada sofisticada e contemporânea, cheia de cômodos altamente integrados – ou “integráveis”, seria mais apropriado dizer. A reforma empreendida pelo profissional, entre seus trunfos, tem a remoção de inúmeras paredes, substituindo-as por esguias portas de correr. A ideia, é claro, era dar versatilidade à vida no interior do lar.
De portas abertas, o estar, o jantar e o home theater são um grande salão só. A amplitude se faz necessária, pois a família é numerosa, e em dias de visitas, a casa fica cheia. Só no núcleo primário, além do casal, são cinco filhos (embora atualmente apenas uma menina viva com eles neste apartamento). Para acomodar a todos em jantares e almoços, os moradores pediram uma grande mesa na sala de jantar. Já para a área do home theater, a encomenda foi uma estante grande o suficiente para abrigar os muitos livros que são a paixão do casal. Neste âmbito, dos amores e das coleções, há também as obras de arte.
Justamente pela abundância de quadros coloridos, pela presença próxima do azul do mar e por uma preferência pessoal, Bastos apostou numa paleta neutra de cores nos acabamentos e no mobiliário. A grande vedete, em termos de materiais, é sem dúvida a madeira – encontrada em várias das paredes, inclusive. Muitos dos móveis não são novos, tendo pertencido às moradas anteriores dos donos. Entre eles, as mesas: uma sobre a qual está uma bela coleção de taças, e a escrivaninha do escritório, que descansa sob um quadro de Portinari. As malas que decoram o estar também são relíquias de vida passada.
Porque neste lar trabalha-se muito em casa, solicitou-se também um escritório mais reservado. A solução foi ocupar a área de um dos quartos, que acabou ligado ao estar por uma porta de correr similar à que une a sala ao home theater. Dessa maneira, esses dois espaços ficam abertos e integrados no dia a dia. Mas se o esforço intelectual exigir, cerram-se as portas. No escritório, a cor fica à cargo não só dos quadros; as lombadas dos livros ajudam a alegrar o ambiente. O design também figura ali. No mobiliário há peças assinadas por autores do calibre de Antonio Citterio e Piero Lissoni.


... uma idéia que eu gosto: cadeiras com rodinhas ... pavor de barulho de 'arrasto' ...
 
 
... a divisão dos ambientes é feita com a porta GIGA de correr ...
 
 
... achey simples & chique! ...
 
 
... um amor da minha vida: Taças! ...
 
 
... Louis Vuitton ...
 
 
... um outro amor da minha vida: Molduras! ...
 
 
... escritório com "ar" de antigamente ... rs ...
 
 
... essas escrivaninhas lembram minha infância ... #Abapha
 
 
 
Fonte: @revistavoguebrasil
 
 
Hasta.
 
 
 
#OJ
 
 
 
 

Nenhum comentário: